sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

ao filho da puta da melhor estirpe



não façam cruzes em seu nome,
que ele não cria e não ia querer

ponham luzes nesse homem
que ele não há de morrer

foi-se embora a passo largo
foi-se embora pra pasárgada

não há césares em teu nome
e meu pesar é grande, júlio

à tua fonte, ó júlio
não há de se acabar

que és mesmo filho da puta
e tua luta é em outro mar

mas tu não me morras mais
não me morras

______________________________

este poema foi feito em homenagem ao poeta júlio saraiva, que morreu há pouco. não sei mais o que dizer, não sei verso nesse momento. só perdi alguma coisa. vou deixar aqui no blogue o link do blogue dele, o currupião. se vocês gostam de poesia, leiam, releiam. é o poeta com quem convivi sem nunca ter visto a cara dele de verdade.

www.currupiao.blogspot.com.br/

obrigado.

Um comentário:

  1. Adorei a página desse poeta, parabéns pela sua também!!
    Abraços.

    ResponderExcluir

artigos populares